Virtualização – vale a pena?

Autor: Telium Networks, 11/03/2021 às 11:00

Custo e eficiência são duas palavras chaves quando falamos em TI. Afinal, não adianta nada ter os servidores e equipamentos mais avançados do mundo na sua frente se você não pode pagar por eles e nem os usar de maneira adequada.

Na verdade, não é incomum que muitas empresas não usem o equipamento que possuem a sua disposição no limite da sua capacidade. Muitas vezes, acabam fazendo upgrades desnecessários ao invés de explorar o potencial real de sua estrutura.

Uma analogia simples de entender seria como se tivéssemos uma fábrica com 10 esteiras de produção e apenas um único funcionário trabalhando e ao invés de contratar outros 9 funcionários, a empresa vai e monta outras 9 fábricas, com 10 esteiras e 1 funcionário em cada uma, operando de maneira incrivelmente ineficiente e cara.

Nesse contexto, cada esteira é uma aplicação e a fábrica é o seu servidor e da forma como as coisas estão estruturadas, seu funcionário só consegue executar uma aplicação por vez, criando uma fila e lentidão.

A virtualização é uma solução para este problema. E a resposta para a nossa pergunta é, sim, vale a pena utilizar a virtualização. Vamos entender a resposta.

O que é a virtualização?

De maneira simplificada, a virtualização irá criar através de software a funcionalidade do hardware. De forma que, dentro da nossa analogia, estaríamos criando outros 9 funcionários “virtuais” dentro do seu servidor, cada um destinado a atender uma demanda específica.

Dessa forma, seu servidor irá operar com o máximo da sua capacidade e sem a necessidade de custos exorbitantes para isso.

Como funciona a virtualização

No mundo real, a virtualização é um sistema de computadores virtuais criados dentro de um computador real. Cada um deles opera como se fosse uma máquina única, mesmo só existindo virtualmente.

Tudo isso é feito através de um software que simula as máquinas, cada uma delas tendo seu próprio sistema operacional e aplicativos.

As máquinas virtuais são completamente autocontidas e permitem que um único computador opere diversas tarefas de maneira independente.

Para os recursos, um software chamado “hypervisor” aloca os recursos para cada máquina virtual de acordo com a demanda.

Quais são as propriedades da virtualização?

Existem algumas características das máquinas virtuais que apresentam grandes benefícios, especialmente para empresas:

  • Particionamento – execução de diversos sistemas operacionais em um único hardware com divisão de recursos entre as máquinas virtuais;
  • Isolamento – proteção contra falhas de segurança no nível do hardware e preservação do desempenho de controles avançados;
  • Encapsulamento – Facilidade para gravar e mover a máquina virtual da mesma maneira que se copia arquivos;
  • Independência – A máquina virtual pode ser montada em qualquer hardware de forma independente.

Essas características tornam a virtualização uma forma segura de otimizar o desempenho do hardware que você tem disponível.

Tipos de virtualização

O modelo mais comum de virtualização que comentamos até o momento é a de servidores, que tem diversas vantagens como eficiência, redução de custos, disponibilidade de recursos e simplificação de infraestrutura. Essa, porém, não é a única forma utilizada e temos outras opções igualmente vantajosas.

  • Virtualização de redes – permite a execução de arquivos através de uma rede virtual, gerando todos os benefícios operacionais e independência de hardware da virtualização;
  • Virtualização de desktops – possibilita que o setor de TI forneça às filiais, desktops e aplicativos virtualizados com grande eficiência. Essa opção também pode ser usada em equipamentos domésticos para criar ambientes independentes em um mesmo computador.

Existem algumas outras formas de virtualização, como o HT que cria núcleos virtuais em processadores, por exemplo, porém, essa tecnologia vem de fábrica com o hardware.

Conclusão

A virtualização é um sistema muito eficiente no ambiente de TI e uma equipe capacitada certamente saberá aplicá-la de maneira adequada às operações da empresa.

 

Nuvem de tags