Afinal, você sabe como fazer a migração de data center?

O data center migration, ou migração data center é o processo de transferência dos dados e dos serviços corporativos de TI, como e-mail, ERP ou CRM, para um novo ambiente. Isso pode acontecer para garantir mais disponibilidade, escalabilidade, performance, segurança ou redução de custo para a área.

Contudo, se a migração de data center não for bem planejada, todas as vantagens esperadas com o novo serviço podem ser perdidas ou obtidas apenas parcialmente. Por isso, listamos 8 cuidados que devem ser considerados nas etapas de planejamento, preparação e migração do data center. Continue lendo e confira cada uma deles!

Mapeie o ambiente atual

Algumas equipes de TI perdem a visibilidade sobre toda a infraestrutura e aplicações utilizadas pelos diversos departamentos de sua empresa. Ao criar um inventário, descobrem que alguns servidores são subutilizados, enquanto outros estão sobrecarregados. Em outros casos, criam uma infraestrutura baseada nas necessidades de cada departamento, o que quase sempre significa ativar, modificar e investir de maneira desordenada.

Por isso, o primeiro passo é mapear tudo o que é usado e como cada equipamento é utilizado no atual ambiente de TI. Em seguida, determine se todo o data center será migrado ou se alguns serviços serão mantidos na atual estrutura.

Crie um inventário de aplicações

Outro passo essencial é determinar quais são as aplicações usadas em cada área de sua empresa. Com o avanço do modelo Software as a Service (SaaS), várias rotinas departamentais passaram a ser executadas em sistemas em nuvem. Com isso, aplicações departamentais que utilizavam a infraestruturalocal passaram a ser mantidas apenas para consultas de dados do passado ou para realizar uma tarefa simples.

Ou seja, crie um inventário das aplicações e avalie com os usuários quais são as tarefas realizadas em cada um. Em seguida, questione os gestores se os serviços duplicados podem ser desativados para otimizar os custos.

Defina a criticidade de cada informação e sistema

Nesta etapa, o objetivo é responder as questões: o que será movido para um data center terceirizado (físico ou em nuvem)? O que será migrado para novos servidores internos? Quais sistemas em nuvem serão integrados a esses ambientes? Como será construída a comunicação entre os diversos softwares e ambientes?

Algumas empresas têm regras específicas de compliance que precisam ser observadas nessa etapa. Outras aproveitam o projeto de migração de data center para estabelecer um novo modelo de relacionamento com as informações críticas do negócio. De qualquer forma, é fundamental entender como a comunicação entre os sistemas ocorrerá para mitigar possíveis riscos e falhas de segurança.

Projete o futuro

Até agora, o gestor de TI estava debruçado sobre a atual realidade de sua área e ferramentas de monitoramento já poderiam responder a boa parte de seus questionamentos. No entanto, também é necessário pensar nas demandas futuras e no crescimento projetado para o negócio.

Por exemplo, observe o atual ritmo de crescimento dos dados, da capacidade de processamento, do espaço de armazenamento e da adoção de novos sistemas. Em seguida, questione sobre os planos de digitalização e de transformação digital do negócio e dimensione o novo ambiente pensando nessas futuras demandas.

Mais que contratar o novo ambiente com a capacidade total necessária, desenhe quais serão os gatilhos que dispararão a ampliação do ambiente e, principalmente, valide se daria para criar um ambiente escalável com uma nuvem híbrida, por exemplo.

Procure as alternativas para cada necessidade

Uma vez dimensionados os principais aspectos de seu ambiente é hora de buscar as alternativas para cada serviço ou demanda de seu negócio. Considere que cada serviço tem características próprias que podem ser otimizadas em determinados cenários. Por exemplo, o sistema ERP de uma consultoria poderia ficar ativado apenas durante a jornada de trabalho e sua instalação em nuvem poderia otimizar os custos de TI.

Também avalie a estabilidade do futuro serviço. Se estiver em dúvida, peça uma prova de conceito (POC) antes de definir o fornecedor dos serviços.

Caso a migração de data center envolva apenas a realocação dos atuais hardwares em outra sala ou prédio, avalie se o transporte das máquinas é viável ao pensar em sua idade, performance e histórico de manutenções.

Teste sua futura rede

Muitos gestores de TI se equivocam ao copiar a atual estrutura de rede e replicá-la durante a migração do data center. A mera cópia ou reaproveitamento do cabeamento, sistema de rede e infraestrutura pode transferir os atuais problemas de performance para o novo local.

Por isso, pense no layout do futuro local, faça o cabeamento apenas uma vez, não economize com conectores e cabos de qualidade duvidosa, configure corretamente cada equipamento da rede e teste a comunicação nos mais diversos pontos.

Estabeleça o plano de migração

O plano de migração de data center deve contemplar como os equipamentos, as aplicações e os arquivos serão movidos para o novo espaço. Em alguns casos isso significa transportar os hardwares, em outros pode indicar uma transferência de dados para a nuvem e necessitar de conexões de internet mais robustas. Por fim, existem projetos de migração que exigem uma combinação de estratégias.

Em todos os casos, avalie qual o tempo de indisponibilidade dos sistemas, planeje o período do ano ou mês mais favorável para a migração e opte pelas metodologias que mitiguem mais riscos e aumentem a segurança dos dados da empresa.

Conte com um parceiro

A migração de data center é considerada como um dos projetos mais temidospelos gestores de TI. Poucos já participaram efetivamente desse processo, além disso, na maioria dos casos há imprevistos que podem aumentar consideravelmente o tempo de indisponibilidade ou a performance do novo local. Por fim, o tempo gasto no apoio das operações diárias costuma inviabilizar o planejamento dos detalhes da migração.

Por isso, conte com um parceiro experiente em projetos de migração e na estruturação de ambientes híbridos. A consultoria de TI poderá se responsabilizar pelo desenho do plano, diagnóstico da infraestrutura, execução do planejamento e teste do novo ambiente. Ao gestor, caberá tarefas pontuais e validação dos aspectos críticos do processo.

Um bom planejamento, uma equipe treinada e o apoio de um bom parceiro de TI são fundamentais para garantir o sucesso do projeto de migração de data center. Sem os cuidados aqui apresentados, a empresa ficará exposta a riscos como perda de dados, problemas de performance no novo ambiente, replicação de problemas atuais e vulnerabilidades de segurança na nova rede.

Seguindo estas dicas, você acredita que seu projeto de migração de data center teria maior possibilidade de sucesso? Quer conhecer outras boas práticas de gestão de TI? Então assine a nossa newsletter e receba nossas atualizações em sua caixa de e-mail!